Tendinite do Ombro

A Tendinite do Ombro como geralmente é conhecida, caracteriza-se por uma inflamação de pelo menos um dos tendões ao redor da articulação do ombro, que segundo a OMS, afeta 1 em cada 100 indivíduos e representa entre 70% a 80% dos casos de dor no ombro. Enquadra-se dentro das tendinopatias no ombro.



O que causa tendinite no ombro?


A Dor localizada, mas que por vezes irradia pelo braço, surge em determinados movimentos, sobretudo quando estes acontecem acima do nível dos ombros, promovendo a sensação de “braço cansado” e consequente falta de força no ombro e braço.

É uma lesão que se apresenta de forma insidiosa e tem origem na realização de movimentos ou gestos repetidos de baixa ou média intensidade, seja em contexto laboral ou desportivo.

No desporto (seja em atletas de alta competição, seja em desportistas de fim de semana), o uso de técnica inadequada, é uma das principais causas de sobrecarga nos tecidos, incluindo tendões, o que pode contribuir para a tendinite.

Na atividade laboral, um traumatismo direto na área do ombro ou queda sobre o braço estendido, pode igualmente causar tendinite do ombro.


Como se diagnostica a tendinite do ombro?


A Avaliação Clínica é fundamental.

Através de entrevista clínica precisa, de testes e instrumentos funcionais validados e direcionados a esta condição clínica, o diagnóstico funcional e médico permitem atuar de forma correta, eliminando ou modificando os fatores de risco e atuando nas incapacidades apresentadas.

Habitualmente, para ajuda no diagnóstico médico, recorre-se à ecografia e a ressonância magnética do ombro, como exames auxiliares de diagnóstico. Os exames radiológicos podem também ser necessários para detetar depósitos de cálcio, característica das tendinites calcificantes do ombro.



Como é tratada a tendinite do ombro?


O tratamento da tendinite do ombro, de uma forma geral, passa pela redução (ou mesmo repouso) da atividade física, um programa de reabilitação e por vezes terapia farmacológica.

A evidência científica da última década destaca a Fisioterapia como fator positivo para uma recuperação rápida, eficaz e com baixo risco de recidiva, sendo a única área terapêutica com dimensão da atuação para além dos sinais e sintomas.

É fundamental a criação de um plano de reabilitação individualizado e diferenciado, para responder às necessidades da pessoa e para que o tratamento seja o mais eficaz possível.

A reeducação do movimento, a alteração e modificação dos fatores de risco e agravantes da lesão, a reeducação muscular precisa, a terapia manual e eletroterapia, o acompanhamento na retoma laboral ou desportiva, são guidelines fulcrais para o sucesso terapêutico.

Raramente existe indicação para cirurgia no tratamento das tendinites do ombro, pelo que esta deve ser muito bem ponderada pelo seu ortopedista. A cirurgia está indicada para as tendinopatias crónicas da coifa, resistentes ao tratamento conservador e com roturas parciais ou completas associadas.


Como se pode prevenir a tendinite do ombro?


Como a maioria dos casos de tendinite do ombro são causados pelo uso excessivo, o melhor tratamento é a prevenção.

É importante evitar ou modificar as atividades que causam o problema. Condições subjacentes, como postura inadequada ou técnica errada na atividade desportiva ou na atividade laboral, devem ser corrigidas.

Aplique estas regras básicas ao realizar atividades:

  • Comece devagar no início e gradualmente aumente o nível de atividade.

  • Use força e repetições limitadas.

  • Interrompa a atividade se ocorrer dor incomum.



48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo